Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Gilberto Martinho
19Número de Fãs

Nascimento: 14 de Janeiro de 1927 (74 years)

Falecimento: 19 de Agosto de 2001

Araranguá, Santa Catarina - Brasil

Em 1950 participou da inauguração da televisão no Brasil ao estrear na TV Tupi fazendo pequenos teleteatros. À convite de Henriette Morineau, integra o grupo Os Artistas Unidos. Em 1951 tem sua primeira oportunidade no cinema com o filme Maria da Praia, sendo apontado como a revelação do ano, ganhando o prêmio da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (ABCC). Também ganhou os prêmios "Saci" e "O Índio", criados em 1952. Por isso, passa a ser bastante requisitado para outros trabalhos no cinema, chegando a fazer muitos filmes como Rua Sem Sol (1954), O Rei do Movimento (1954), Mãos Sangrentas (1955), O Diamante (1956), Fuzileiro do Amor (1956), dentre outros, de relativo sucesso.
Na televisão, se destacou pela primeira vez ao interpretar Falcão Negro na série infantil homônima que ficou sete anos no ar na TV Tupi do Rio de Janeiro, super-herói brasileiro de muito sucesso na década de 1950. Ainda na Tupi, fez sua primeira telenovela: Alma Cigana em 1964.
Sua estreia na Rede Globo se deu com a novela Anastácia, a Mulher sem Destino, em 1967. Em 1970, ganha notoriedade nacional ao interpretar o Coronel Pedro Barros na novela Irmãos Coragem de Janete Clair. Durante cerca de dez anos, fez quase todas as novelas da emissora, dentre elas algumas de grande sucesso como Selva de Pedra (1972), Gabriela (1975), Pecado Capital (1975), Escrava Isaura (1976) e Locomotivas (1977). Foi o mais autêntico “coronelaço” nos papéis centrais das novelas e dos palcos brasileiros.
Sobre sua carreira no teatro, atuou em várias produções, inclusive nas companhias de Bibi Ferreira, Marlene/Luís Delfino e de Graça Mello.
Sua última novela inteira foi Roda de Fogo, em 1986, na TV Globo. Posteriormente participou ainda de alguns episódios do programa Você Decide.
Gilberto Martinho era casado, tinha três filhos e faleceu de um câncer pulmonar em 19 de agosto de 2001. O ator estava internado no hospital Copa D'Or desde 31 de julho daquele ano e, por duas semanas, vinha sofrendo com as complicações causadas pelo enfisema. O corpo foi enterrado em Barra de São João, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro.